Lisboa vai ter Museu Judaico, dedicado a história do judaísmo em Portugal

A Câmara Municipal de Lisboa (CML) anunciou esta quarta-feira, 31 de Março, a construção em Belém do Museu Judaico de Lisboa, dedicado sobretudo à “parte luminosa” da história do povo judaico.

Batizado de Tikvá, que significa “esperança” em hebraico, o novo museu resulta de uma parceria com a Associação Hagadá, responsável pela criação, instalação e gestão do Museu. A assinatura do protocolo entre as duas entidades, acontece numa altura em que se assinala os 200 anos da abolição da inquisição em Portugal.

Com uma área de cerca de 4 mil metros quadrados, o Tikvá – Museu Judaico de Lisboa, vai retratar os quase dois mil anos de história do judaísmo em Portugal, pretendendo “preservar e divulgar a memória e a vivência judaica, e valorizar as diferenças culturais, promovendo a integração inter-religiosa”.

O projeto arquitetónico foi concebido pelo arquiteto Daniel Libeskind, que desenhou os museus judaicos de Berlim, São Francisco e Copenhaga, bem como os memoriais do Holocausto nos Países Baixos, no Canadá e nos Estados Unidos e a reconversão do Ground Zero, em Nova Iorque.

Além do museu, a Câmara aprovou transformação do local onde esteve previsto anteriormente a sua construção, num memorial de homenagem ao povo judaico.

O memorial será erigido no Largo de São Miguel, em Alfama, perto da mais antiga judiaria que existiu em Lisboa, na Idade Média.

Artigos Relacionados

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.