Designer angolana Sandra Poulson vence prémio MullenLowe Nova 2020

Foto: reprodução

A designer angolana Sandra Poulson recebeu dois prémios no “MullenLowe Nova Awards 2020” no Reino Unido, com o seu projecto “An Angolan Archive” (Um Arquivo Angolano).

Recém-licenciada, Sandra Poulson, integrou uma lista de 14 finalistas, numa seleção de 1.300 estudantes da renomada Universidade Central Saint Martins, de Londres.

A iniciativa do Grupo “MullenLowe”, premeia anualmente “Novos Talentos Criativos”, de uma das mais prestigiadas Faculdades de Arte, Design e Performance do mundo, com o objectivo oferecer aos estudantes, “uma plataforma de reconhecimento e a oportunidade de continuarem a sua pós-graduação”.

Na cerimonia online que aconteceu no passado dia 10 de Setembro, Sandra Poulson foi a grande vencedora do prémio “MullenLowe Nova 2020”, em segundo lugar ficou Joseph Standing e em terceiro Mathilde Rougier.

Além deste prémio, a jovem angolana, foi distinguida com o prémio “YourNOVA” de votação pública.

Projeto de Sandra Poulson

Segundo o site da organização, “An Angolan Archive” (‘Um Arquivo Angolano’) reúne cerca de 200 peças de informação, em forma de textos escritos, imagens de pesquisa, vestuários, gravações de voz, desenhos, artefactos de madeira, instalação, fotografias, performance e obras em vídeo. 

Neste projeto, a designer, utilizou uma seleção de artigos domésticos comuns em Angola, para discutir a relação entre a família e a memória social herdada da Angola colonial e da guerra civil.

Tem o objetivo de desmantelar a Angola contemporânea, através dos estudos semióticos de objetos tão comuns como atores em transformações culturais e políticas em curso.

A tarefa de descolonialidade é central para este trabalho, uma vez que a noção de arquivos próprios liderados por africanos ainda está por confrontar as realidades atuais retratadas por organismos externos.

“Este projeto começou com uma viagem de pesquisa a Luanda, minha cidade natal, onde passei um mês capturando e me envolvendo com a vida quotidiana da cidade, desde assentamentos informais até o centro de Luanda. Documentei cerca de 3.000 peças de informação por meio de fotografia, vídeo e gravações de voz”, disse Poulson.

O projeto evoluiu para a execução de protótipos e fabrico de artefactos, utilizando madeira, metais fundidos e serigrafia.

Angolana Sandra Poulson vence prémio MullenLowe Nova 2020
Um olhar sob o projeto “Um Arquivo Angolano”. Foto: reprodução

“Quando Londres entrou em isolamento, pensei em usar o espaço do telhado de um apartamento ao lado de onde vivo. Eventualmente, tive a coragem de ocupá-lo como meu estúdio. Conheci os proprietários e, mais tarde, os operários da construção que estavam a reformar o apartamento ao lado, e comecei uma ocupação autônoma do telhado, por oito semanas, que em certo ponto, acho eu, talvez tenha tornado o trabalho real”, explica sandra, fazendo uma reflexão sobre ato de colonizar ou apropriar-se de algo.

Veja abaixo, o video em inglês, onde Sandra Poulson faz uma demonstração da sua obra vencedora.

Artigos Relacionados